fbpx
Connect with us

Noticias Fiscais

Ressarcimento do ICMS ST – Live dia 03/08/2020.

Published

on

Ressarcimento do ICMS ST – Live dia 03/08/2020. mv 1 e1596464453713

Hoje ocorrerá a live sobre ressarcimento do ICMS ST as 19:hs horário de Brasília.

Contará com a participação de Marcio Valério Verbisck e do Prof° Antônio Sergio. Ocorrerá no Instagram do tributarioexpert.

Amanhã colocaremos um resumo do que foi discutido.

Fisco Fácil

Continue Reading

Destaque

ROT ST no Mato Grosso do Sul

Published

on

rot st ROT ST no Mato Grosso do Sul workplace at the office PWUF93C

O Estado de Mato Grosso do Sul, por meio do Decreto 15.580, de 19 de janeiro de 2021, instituiu o Regime Optativo de Tributação da Substituição Tributária (ROT-ST), autorizado pela cláusula terceira do Convênio ICMS 67/19, de 5 de julho de 2019, bem como pelo Convênio ICMS 141/19, de 2 de setembro de 2019, que dispôs sobre a adesão do Estado de Mato Grosso do Sul à referida cláusula

 

Conforme a norma, o referido regime optativo consiste na dispensa da obrigatoriedade de pagamento do imposto correspondente ao complemento do ICMS retido, ou pago antecipadamente, pelo regime de substituição tributária, nos casos em que o preço praticado na operação a consumidor final seja superior à base de cálculo utilizada para essa retenção ou pagamento antecipado, condicionada à abdicação do direito ao ressarcimento do valor retido ou pago a maior, por esse regime, no caso em que o preço praticado na operação a consumidor final seja inferior à base de cálculo utilizada para essa retenção ou pagamento.

A adesão ao Regime Optativo de Tributação da Substituição Tributária (ROT-ST) se dará de forma eletrônica, mediante acesso ao Portal do ICMS Transparente, na Internet, no endereço eletrônico www.icmstransparente.ms.gov.br e vigorará, em relação às operações realizadas desde 29 de dezembro de 2017, em relação à dispensa da complementação de que trata o art. 55-A da Lei nº 1.810, de 22 de dezembro de 1997, e das datas constantes das alíneas “a” e ”b” do inciso I do art. 3º do Subanexo II ao RICMS, em relação ao ressarcimento, se a opção for efetuada até o dia 30 de abril de 2021. Ou ainda, em relação ao primeiro dia do primeiro mês subsequente, se a opção for efetuada a partir de 1º de maio de 2021.

 

Fisco fácil é aqui!

 

Escrituração do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza na EFD  Ressarcimento do ICMS ST – Live dia 03/08/2020. Copia de VICENTE 24

Escrituração do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza na EFD

A GIA ST é uma declaração na qual você pode declarar o ICMS ST, DIFCON e FECOMP. É usada por…
O que é o complemento do ICMS ST?  Ressarcimento do ICMS ST – Live dia 03/08/2020. designer at work in office PWUJ95M

O que é o complemento do ICMS ST?

A partir do Recurso Extraordinário (RE) 593849, pode-se dizer que não há mais a definitividade da operação tributada por substituição…
ROT ST no Mato Grosso do Sul  Ressarcimento do ICMS ST – Live dia 03/08/2020. workplace at the office PWUF93C

ROT ST no Mato Grosso do Sul

O Estado de Mato Grosso do Sul, por meio do Decreto 15.580, de 19 de janeiro de 2021, instituiu o…
Continue Reading

Destaque

Pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o ICMS Difal?

Published

on

pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o icms difal? Pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o ICMS Difal? difcon

Há alguns dias houve uma discussão sobre a prática de algumas lojas em cobrar o ICMS Difal do destinatário, em operações interestaduais para consumidor final.

Imagine você, que depois de pesquisar um produto na internet e efetuar a compra, o vendedor entre em contato para exigir o pagamento do ICMS Difal, com a justificativa de que você é de outro estado e, por isso, há a cobrança de dois ICMS. Isso é justificado? 

Vamos a um exemplo prático:

pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o icms difal? Pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o ICMS Difal? Tk6OeucK1EPYLUz6fw KkG5HwAM1AAAAAElFTkSuQmCC

DESCRIÇÃO DA OPERAÇÃO E CÁLCULO DO TRIBUTO

Essa é uma aquisição de uma mercadoria de informática, para gravações caseiras. Sua venda ocorreu em um site especializado nesse tipo de equipamento. O valor da mercadoria é público, e não varia de acordo com o destinatário.

O que pode variar é o valor do frete, mas em um país de proporção continental isso é justificado.

No detalhamento do produto, temos que o valor dessa mercadoria é de R$ 1.164,59 e o valor da base de cálculo é R$ 1.207,23, mas por que? 

A resposta é o valor do frete de R$ 42,64, que faz parte da base de cálculo do ICMS.

O Valor do ICMS é o resultado da aplicação da alíquota de 12% sobre a base de cálculo de R$ 1.207,23, igual a  R$ 144,87.

Como essa é uma operação de venda interestadual a consumidor final, com origem no Espírito Santo e destino a Mato Grosso do Sul, a alíquota interestadual aplicada é de 12%.

O Valor de ICMS R$ 144.87  pertence ao Espírito Santo. A empresa vai fazer a apuração do ICMS e pagar o total do imposto a recolher do período.

Para Mato Grosso do Sul, é devido o ICMS na modalidade Diferencial de Alíquota a Consumidor Final (DIFAL), ou DIFCON, que é obtido multiplicando a base de cálculo do ICMS devido ao estado de origem pela diferença entre o valor da alíquota interna para esse produto e o valor da alíquota interestadual.

pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o icms difal? Pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o ICMS Difal? DTxUgAAAABJRU5ErkJggg

A diferença entre a alíquota interna de MS, que é 17% para esse produto, menos os 12% da alíquota interestadual, resulta no percentual de 5%, que deve ser aplicado sobre a base de cálculo de R$ 1.207,23. Portanto, o ICMS DIFAL é de R$ 60,36.

Veja que esses dados estão descritos no campo de informações da NF-e:

pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o icms difal? Pode o remetente da mercadoria cobrar do consumidor final o ICMS Difal? H9Zkc0OA8hiWAAAAABJRU5ErkJggg

VAMOS A UM RESUMO DESSAS OPERAÇÕES E O MOTIVO DE SER INJUSTIFICÁVEL ESSA COBRANÇA

ICMS Suportado nessa aquisição: R$ 144,87 + 60,36 = R$ 205,23

Valor total do documento: R$ 1.207,23.

O consumidor pagou o valor total de R$ 1.207,23 por essa aquisição.

O vendedor recebeu: R$ 1.207,23, recolhendo 144,87 para ES e 60,36 para MS.

Lembre-se que o ICMS compõe a sua própria base de cálculo.

AGORA A PARTE IMPORTANTE: E SE ESSA VENDA FOSSE INTERNA?

Vamos considerar o valor do frete o mesmo, e a alíquota também 17%.

Venda Interna ICMS = 1.207,23*17% = 205,23.

Logo, o remetente da mercadoria não tem um custo maior de ICMS por essa venda. 

A diferença é que na operação interna o ICMS será totalmente recolhido para o Estado do Espírito Santo, e, na operação que mencionamos, será repartido entre as UF’s de origem e de destino.

Veja que não há aumento do custo, que o ICMS é o mesmo.

Conclui-se, assim,  que essa cobrança é injustificada.

Fisco Fácil é aqui!
Continue Reading

Trending